A+ A A-
  • Categoria: Movimento
  • Escrito por Fábio Ramalho
  • Acessos: 12689

Fenaj anuncia retomada da luta pelo conselho profissional dos jornalistas

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), entidade que reúne 31 sindicatos de jornalistas profissionais do país, escolheu o momento da posse da nova diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, na tarde do sábado, 19 de setembro, para anunciar a retomada da luta pelo conselho profissional da categoria.

 

Durante cerimônia de posse da diretoria encabeçada por Paulo Zocchi, o vice-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas José Augusto (Guto) Camargo, falando em nome do presidente da Federação Nacional dos Jornalistas, Celso Schroeder, anunciou que a entidade pretende retomar a luta pelo conselho profissional. No entanto, segundo a comunicação feita por Guto Camargo, que presidiu o Sindicato de São Paulo até então e integra a nova diretoria, o nome utilizado não foi o da proposta de 2004, de Conselho Federal de Jornalismo (depois mudada para Conselho Federal de Jornalistas), mas Conselho Nacional de Jornalistas.

"Já não estamos mais sozinhos. Acho que devemos saudar o fato como sendo muito positivo pois entendemos que o tema do conselho de jornalistas é de todos os jornalistas e certamente a Fenaj é uma voz importante no debate", explica Fred Ghedini, do Colegiado Diretivo do Movimento Jornalistas Pró-Conselho.

A batalha de 2004 pelo CFJ

Em 7 de abril de 2004, os presidentes e representantes dos Sindicatos de Jornalistas do país e da Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ, entregaram ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a proposta dos jornalistas para a constituição dos Conselhos Federal e Regionais de Jornalismo. Depois de passar pelos Ministérios do Trabalho e da Casa Civil, o texto, na forma de um Projeto de Lei, foi enviado pelo Executivo ao Congresso Nacional no início de agosto. Era o PL 3.985/04.

Ao chegar ao Congresso, a proposta foi duramente combatida por jornalistas, juristas e empresas jornalísticas, em editoriais, entrevistas e artigos assinados. Em 10 de agosto de 2004, poucos dias depois da sua admissão pelo Parlamento, o PL do CFJ foi apensado ao PL 6.817/2002, do deputado Celso Russomanno, que pretendia instituir a Ordem dos Jornalistas do Brasil (OJB). Em dezembro, já no final do ano legislativo, o projeto do CFJ foi rejeitado sem qualquer debate em plenário, por um acordo de lideranças.

Clique aqui e veja mais sobre a luta dos jornalistas pela construção do Conselho da categoria. 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar